REVISTA VIGOR

REVISTA VIGOR: Notícias, futebol ao vivo, Fitness

Campo Grande é responsável por cerca de 70% das contratações de maio de todo o MS – CGNotícias

O saldo de novas contratações atingiu 1.304 novas vagas em maio, um total de 67,94% de todas as contratações registradas em todo o Mato Grosso do Sul. Se comparado o resultado com o mês de maio de 2023, em Campo Grande, o crescimento chega a 75,23% – no período 981 novos postos de trabalho foram abertos. O número também é maior que abril deste ano, quando 1.269 novas vagas foram efetivadas. Somado os primeiros cinco meses de 2024, o saldo chega a 5.794 vagas. As informações foram publicadas nesta quinta-feira (27) pelo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados).

“As empresas têm conseguido mês a mês ampliar a oferta e a contratação. Tanto é assim que há meses, a Capital lidera o ranking nacional com a menor taxa de desocupação entre todas as capitais do país – a cidade registra uma taxa de desocupação de apenas 4,4%”, pontua a prefeita Adriane. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) que revelam ainda que em seguida estão as cidades de Porto Velho (RO) com 4,7%, e Palmas (TO) com 4,9%.

Ainda conforme a publicação do Caged desta quinta-feira, o setor que mais gerou vagas foi o de Serviços (3.053), seguido do de Construção (1.482), Indústria (592), Agropecuária (423) e Comércio (244). Em relação a variação relativa de crescimento, Construção foi que teve o maior incremento (10,94%) seguido da Agropecuária (8,58%). Os dois setores podem ser vistos como indicadores de desenvolvimento em Campo Grande, devido à sua forte influência na economia local. A agropecuária, com suas áreas de cultivo e criação de gado, impulsiona a produção gerando emprego e renda. Paralelamente, o setor de construção civil reflete o crescimento urbano e a melhoria da infraestrutura, atraindo investimentos e melhoria da qualidade de vida dos habitantes.

Campo Grande, inclusive, alcançou o primeiro lugar no ranking de competitividade dos municípios no indicador de Capital Humano entre todas as cidades da Região Centro-Oeste. O feito destaca a cidade como um exemplo de progresso e investimento em setores fundamentais para o bem-estar e o crescimento econômico. Desenvolvido pelo Centro de Liderança Pública (CLP), o ranking de competitividade dos municípios avalia diversas dimensões essenciais para a prosperidade das cidades brasileiras. Entre esses indicadores, o Capital Humano é considerado um dos mais cruciais, pois avalia o nível educacional da mão de obra, aspectos relacionados à inserção no mercado de trabalho e os impactos sobre a produtividade da economia.

Não se pode deixar de citar o saldo de Comércio e Serviços, que somados acumulam 3.297 vagas, o que significa que mais da metade de todo o saldo de contratações de Campo Grande em 2024 está concentrado nos dois setores, que representam 82,4% na economia municipal.

Para o secretário municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio, os dados do Caged de maio foram muito positivos. “Apesar dos desafios enfrentados nos últimos meses, os números foram muito superiores aos do ano passado, e o saldo positivo de Construção Civil e Agropecuária demonstram que Campo Grande entra em 2024 em franca expansão. São dois setores importantíssimos da economia que juntos evidenciam a capacidade de Campo Grande em promover progresso e inovação, consolidando-se como um polo de crescimento no estado de Mato Grosso do Sul. ”, conclui.