5 mitos sobre o exercício aeróbico continuo – Treino Mestre

O aeróbico continuo foi “demonizado” por muitos nos últimos anos. Mas será que ele é de fato tão ruim? Veja 5 mitos sobre ele neste artigo!

aeróbico continuo baixa intensidade emagreceaeróbico continuo baixa intensidade emagreceWhey Protein Growth Supplements De tempos em tempos, surgem novos “métodos” que vão contra os já presentes. Foi o que vimos nos últimos tempos em relação ao aeróbico continuo. Tido até então como a única solução para o emagrecimento, ele passou a ser demonizado por muitos. Com isso, criou-se uma certa histeria coletiva em cima de seu “adversário” direto, o HIIT.

O aeróbico continuo passou a ser considerado ineficiente e não tinha mais serventia para quem visava o emagrecimento. Mas será que realmente isso é verdade? Será que o aeróbico continuo não é em nada eficiente?

Depende do contexto. Para te ajuda, selecionei 5 dos principais mitos em relação ao aeróbico continuo!

Aeróbico continuo, mitos que te contaram!

1° Aeróbico contínuo é o melhor para o emagrecimento

Ele não é o melhor método para muitos casos. De forma geral, o aeróbico continuo não é o método mais eficiente, em médio e longo prazo, para quem quer emagrecer. Isso, devido ao fato de que existem muitas questões envolvidas no processo de emagrecimento. Um dos pontos que fazem com que o aeróbico continuo não seja o mais eficiente para o emagrecimento, está ligado a relação volume-intensidade.

Por ele ser de ordem aeróbica, que necessariamente precisa de exercícios mais “volumosos”, em muitos casos temos uma efetividade menor, no que se refere ao gasto calórico total. Principalmente no caso de pessoas com um bom nível de treinamento, que visam aumentar sua capacidade cardiorrespiratória, há um déficit em relação a métodos mais intensos.

Agora, é importante salientar que não ser o melhor, não necessariamente quer dizer que ele deve ser abolido totalmente. Existem muitos fatores que devem ser avaliados e em muitos casos, ele se mostra como a estratégia com o melhor custo-benefício. Mas tudo depende da individualidade biológica de cada um, do nível de treinamento, de suas preferencias e necessidades!

2° Não devo usar o aeróbico continuo depois da musculação

Novamente entramos na questão dos objetivos e da individualidade. Em termos de treinamento concorrente, existem evidências que apontam que o aeróbico continuo não é o mais indicado, após o treino de musculação, pela diferença nas intensidades das atividades.

Porém, isso necessariamente pressupõe que a musculação é feita em alta intensidade. Mas e nos períodos básicos da periodização? Quando temos um treino com mais volume e menos intensidade?

Além disso, o aeróbico continuo, nas fases mais básicas da periodização, ajudam na adaptação geral do corpo, trazendo uma melhora na condição cardiorrespiratória. Mas estas pessoas não podem fazer um HIIT neste caso? Até podem, mas em períodos iniciais de treinamento, principalmente em pessoas com baixo nível de aptidão física, devemos evitar níveis muito elevados de intensidade.

É preferível usar um método mais “leve”, para que haja uma adaptação geral. Depois disso, podemos sim usar métodos mais intensos!

3° Aeróbico continuo em jejum é ótimo para queimar mais gordura

O aeróbico em jejum, endeusado por alguns e demonizados por outros, é uma estratégia específica. Quando usado da forma correta, ele pode trazer bons resultados. Porém, o grande engano da maioria das pessoas é em achar que ele, por si só, em qualquer contexto, trará bons resultados.

Clique para conhecer

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *